DTM 2007 de Hakkinen

Deutsche Tourenwagen Masters

Mais conhecida como DTM, antigamente conhecida como Deutsche Tourenwagen Meisterschaft, é uma categoria de corrida de carros de turismo baseada na Alemanha. Atualmente é disputada apenas pelas montadoras Audi, BMW e Aston Martin.

A antiga DTM (Deutsche Tourenwagen Meisterschaft) foi disputada entre os anos de 1984 e 1996, encerrou suas atividades devido aos altos custos e tentativa frustrada de internacionalização da categoria.

A nova DTM surgiu em 2000 com um carro da Opel baseado no que foi disputado nas 24 Horas de Nurburgring de 1999, com formato de campeonato semelhante ao do ano de 1995, ao contrário da anterior, os carros da nova categoria seriam baseados em coupés de 2 portas, a Opel usou o Astra, a Mercedes-Benz usou o Classe CLK e a Audi no TT.

A Opel saiu da categoria em 2006, durante os anos seguintes a categoria passou por modificações visando redução de custos, a BMW voltou para a DTM em 2012, em 2019 a categoria passou a utilizar as mesmas especificações da Super GT do Japão.

Mika Hakkinen

Iniciou no kart com cinco anos, vencendo sucessivamente os campeonatos regional e nacional antes de se transferir para os carros maiores. Venceu o campeonato de Fórmula 3 inglesa em 1990, despertando o interesse dos dirigentes da Lotus. Já em 1991 foi contratado para correr na Fórmula 1 pela equipe Lotus.

Trocou a Lotus pela McLaren em 1993. Após passar por uma sucessão de decepções com a McLaren, conquistou os campeonatos da 1998 e 1999 de F1. Häkkinen sempre foi um piloto extremamente rápido e em 1995 esteve perto da morte num acidente no Grande Prêmio da Austrália, sendo salvo por uma traqueostomia.

Depois de lutar com sua McLaren, com problemas de confiabilidade, contra a Ferrari de Michael Schumacher em 2000 e 2001, Häkkinen, desmotivado, não disputou a temporada de 2002 e anunciou sua aposentadoria permanente durante a temporada. No ano de 2000, porém, o finlandês protagonizou uma das mais belas ultrapassagens da história da Formula 1, ocorrida na Bélgica em cima de Michael Schumacher. Com uma bela manobra pela esquerda e aproveitando a presença do retardatário Ricardo Zonta, da BAR, Häkkinen ultrapassou Schumacher com maestria. O piloto alemão ficou tão abismado que Häkkinen teve de explicar-lhe como realizou tal manobra.

O retornou definitivo às pistas, contudo, aconteceu pela Mercedes no DTM. Na verdade, quando deixou a F1, o piloto se manteve como embaixador da marca alemã, de modo que um acordo envolvendo competições se deu com certa naturalidade.

O começo no certame alemã foi altamente animador. Hakkinen pontuou em suas duas primeiras corridas (oitavo em Hockenheim, terceiro em Lausitz) e venceu logo na terceira, em Spa-Francorchamps. Naquele ponto, parecia que o veterano seria um sério candidato ao título, mas uma sequência três corridas fora dos pontos o tirou do páreo. Hakkinen pontuou mais duas vezes, com um quarto lugar em Nurburgring e um segundo em Istambul, mas acabou na quinta posição na tabela geral, a distantes 54 pontos do campeão, Gary Paffett.

O objetivo de Hakkinen em seu segundo ano no DTM era o título, e novamente o começo de temporada não foi dos piores: quarto em Hockenheim, terceiro em Lausitz. Mas, mais uma vez, a inconsistência foi seu calcanhar de aquiles. Hakkinen pontuou somente em duas oportunidades nas oito provas restantes do campeonato, com dois pódios (Norisring e Le Mans), e ficou longe do topo nos pontos, com um sexto lugar no geral.

Já em 2007, Hakkinen parecia que estava ficando sem o pique de antigamente. Apesar de duas poles e duas vitórias (Lausitz e Mugello), o bicampeão mundial novamente mostrou inconsistência, ficando de fora dos pontos em seis de dez provas da temporada. Para piorar, o piloto cometeu uma verdadeira lambança na rodada de Barcelona, quando tentou uma ultrapassagem atrapalhada, tirou Martin Tomczyk da corrida, foi desclassificado, multado e recebeu uma punição no grid da etapa seguinte. Era o momento de dizer chega e anunciou sua aposentadoria das pistas no final de 2007.

Depois disso, Hakkinen nunca mais competiu em um campeonato completo. Ele chegou a participar de uma corrida da International Le Mans Cup, inicio do WEC, na China. No circuito de Zhuhai, o finlandês, ao lado de Cong Fu Cheng e Lance Arnold, abandonou com um Mercedes SLS GT3.

DTM Classe C de 2007

2007 foi a vigésima primeira temporada do principal campeonato alemão de carros de turismo e também a oitava temporada sob o apelido de Deutsche Tourenwagen Masters desde o reinício da série em 2000.

A Mercedes-Benz apresentava seu novo carro, (bolha) o C-Class W204. O carro tinha linhas muito diferentes do modelo anterior, (w03) com design que remetia à tradição das linhas Mercedes-Benz dos anos 90.

Para a temporada de DTM de 2007, apenas a equipe HWA (a equipe oficial da Mercedes-AMG) usou o carro de especificação de 2007, enquanto outras equipes usaram as especificações de 2005 ou 2006. O carro nº 6 foi pilotado por Mika Hakkinen, que venceu 2 das 10 corridas da temporada e terminou em 8º na classificação de pilotos e conseguiu para a HWA a segunda posição na classificação da equipes, apenas 12 pontos atrás da Audi Sport Abt Sportsline.

Especificações técnicas
Tipo: DTM
Comprimento : 4.872 mm
Largura : 1.845 mm
Altura : 1.255 mm
Peso : 1.050 kg
Distância entre eixos : 2.795 mm
Motor : Mercedes-Benz V8 4.0 personalizado para competições pela AMG
Aspiração : Aspirado naturalmente
Potência : 480 cv
Torque : 500 NM
Tração: FWD – Tração traseira e motor dianteiro
Transmissão / Caixa de velocidades : Transmissão manual Xtrac de 6 velocidades com mudança de velocidades sequencial

Outros carro que competiram na DTM pela Mercedes-Benz ao longo dos 31 anos que a marca participou da competição.:

 

 

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp